Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



GOLDFISH

por Dafrog, em 27.11.23

Quando fui convidado para entrar neste blog por aquele que é, sem dúvida, um dos meus melhores amigos (gosto de o tratar por irmão tal é a nossa amizade), corria o ano de 2020. Longe estaria de imaginar que a minha vida iria dar uma volta tão grande que, hoje, ao fim de 3 anos e após um interregno nos nossos textos, estaria aqui a escrever-lhe a agradecer todo o apoio e camaradagem que sempre me deu. Nem todas as palavras ditas e escritas seriam suficientes para tal.

No início de 2022 fui “presenteado” com um enorme murro no estômago. A pessoa com quem tinha partilhado os últimos 23 anos, de forma inesperada (ou não) decidiu partir em busca de algo diferente. Queria ser “livre”, queria “voar”. E assim foi. Boa viagem. Desde o primeiro minuto, o meu “irmão” esteve do meu lado. Não houve um dia que não me ligasse, nem que fosse para me ouvir a destilar sem dizer uma palavra. Mas palavras foram o que nunca lhe faltaram. Quando poucos meses depois, pois o Universo não dorme, fui presenteado com um reencontro improvável, ele estava lá também. Dizia que as pessoas que merecem têm, de uma forma de outra, aquilo por que sempre procuraram: o Amor.

Eis que, numa das nossas inúmeras conversas, ele me convence a ver uma série “do melhor que alguma vez podia ver”. Mais uma vez não defraudou as expectativas. Após algumas semanas de dúvidas lá embarquei na aventura de assistir a TED LASSO. A série produzida, realizada e interpretada por Jason Sudeikis conta a história de um treinador de futebol americano (chamar futebol a um desporto que se joga com as mãos é complicado) que é convidado para treinar uma equipa de futebol (o verdadeiro) em Inglaterra. Desenganem-se aqueles que pensam que a série é sobre futebol. É muito mais do que isso. É sobre pessoas e as suas diferenças, os seus medos, os seus problemas, aas suas idiossincrasias, a saúde mental, o saber perdoar e o Amor. Logo num dos primeiros episódios, após um passe falhado de um dos seus jogadores, Ted chama-o à parte e diz-lhe: “Sabes qual é o animal mais feliz do mundo? O peixinho-dourado. Sabes porquê? Porque tem somente 10 segundos de memória. Sê um peixinho dourado e esquece os erros”.

São os erros e as imperfeições que fazem de nós o que somos. Se o fizermos uma vez e aprendermos a ultrapassar, a perdoar e a não repetir seremos melhores versões do que somos actualmente. É assim que hoje vivo. A Amar intensamente aquela que é sem dúvida uma pessoa maravilhosa, uma mãe preocupada, uma amiga verdadeira, a namorada mais bonita do mundo. A saber perdoar quem comigo erra e a saber perdoar-me dos erros que cometo. A dar valor a pequenas coisas que juntas fazem desta única vida um caminho inigualável. Chegou o meu momento de te dizer “irmão”, be a goldfish…

P.S. – Quem quiser ver esta série terá de o fazer através da Apple Tv+, ou num dos inúmeros sites de pirataria que por aí pululam….

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:47


6 comentários

De João a 01.12.2023 às 07:25

Perdão não existe. O que existe é a adaptação a uma nova circunstância. O ser humano é uma complexidade irredutível perante um peixinho dourado. Andar atrelado a valores absolutos é o mesmo que aceitar a ilusória evidência do livre arbítrio. Somos determinados nas ações por causas que habitam o inconsciente. Não adianta não lembrar. Está lá e age quando menos consciência temos.

Comentar post




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.





Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D