Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os Chalupas

por Dafrog, em 18.09.21

Os chalupas       

Neste ultimo ano e meio, sofremos na pele a existência de uma doença que veio para ficar. Queiramos ou não ela existe e mata. O que também mata são os chalupas, de ambos os lados.

Não sou médico, mas de louco tenho um pouco. É certo que não chega para andar por aí a dizer baboseiras e a manifestar-me contra uma evidência que é uma doença contagiosa. Nem tão pouco para fazer dessa doença a pior coisa do mundo.

Fernando Nobre decidiu, por estes dias, ser tão chalupa quanto parecia, quando concorreu a umas eleições presidenciais. O médico cirurgião, fundador da AMI (Assistência Médica Internacional) organização não-governamental, discursou durante quase meia hora, em frente à Assembleia da República, num evento organizado por chalupas. Além de ali estarem a contestar as medidas do governo de Mao Tse Costa, a maior parte contesta mesmo a existência de tal doença. Assoberbado por tanta inteligência o caro Nobre decidiu embarcar numa viagem sem regresso. Desde a cura à doença que teve (estranhamente foi Covid), ao tratamento com aquele remédio que o brasileiro chalupão usou, tudo valeu para o Dr. Nobre fazer valer as suas…ide…opin…baboseiras.

Mas por estes dias (ou largos meses), muitos são aqueles que de uma forma mais ou menos pitoresca, têm alimentado esta organização de chalupas unidos. Um dos mais famosos é o célebre Rui Fonseca Castro, AKA, o juíz negacionista. Ele leva tudo à frente, incluindo uma pequena réstia de inteligência que podia aproveitar. Desde chamar pedófilo ao amigo do Paulo Pedroso, ameaçar polícias com ar de quem é o rufia lá da rua dele, combinar “faites” pelo Facebook com gajos “licenciados” em Krav Maga, tudo vale para este valentão.

Claro que tudo isto é cíclico. Há 100 anos, durante a Pandemia da Gripe Espanhola, também já havia chalupas. É verdade! Eram os chamados Liga Anti-Máscara. E muitos deles, atente-se, usavam a máscara no…queixo! Claro que tudo isto passava-se em São Francisco (dos Estados Unidos da América Chalupa). Nem nisso somos bons, temos sempre de copiar os outros

EhFFdexV_400x400.jpg

image.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:14

Ironia ao Metro

por Nunovsky Ops, em 14.09.21

Um dos meus desportos preferidos, desde sempre, é a observação d comportamentos.

Sempre que estou num café, restaurante, numa sala de espera ou quando ando de metro gosto muito de observar a fauna e flora dos locais (será uma tara voyeurista?) em vez de afundar no ecran do telemóvel...

Um destes dias fui à baixa de metro. Já não andava desde que a pandemia iniciou... e  que regalo foi.

Numa das estações depois de Rio Tinto (aquelas que servem aqueles campos de cultivo) entraram dois comparsas que tiveram este diálogo:

"- Esta gera que está toda indiguenada com aquela merda que fizeram ao Ferro Rodrigues, (e benhe, que o home tambenhe tem direito), também se indiguenou quando fizeram o mesmo ao Passus Cuelho quando a mulher estaba cum cancro?" (mais uns palavrões a fazer de virgula...)

"-Era o que faltaba, caral#%... Quéque u cu tem a ber com as calças? A mulher du Passus nunca tebe uma boa cor e o gaijo foi o culpado de quase tudo que se passou nos últimos 50 anos ou mais... Tem as costas largas... Ainda o boum buscar outra bez..."

Priceless...

O país real ao vivo e a cores...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:53

Indignado e remediado

por Nunovsky Ops, em 14.09.21

Indignado.

É assim que me sinto. 

Num país onde a capital vive em pequenas bolhas e onde nas principais metrópoles é norma a indignação, resolvi aderir a esta nova moda e indignar-me.

Desconheço se temos de ir a algum guichet fazer a inscrição ou então ir a alguma rede social para poder intitular-me um "indignado" encartado...

E porque é que me indignei, deverão estar a perguntar (isto se ainda estiverem a flagelar os olhos a ler isto...)?

Indignei-me porque no espaço de uma semana a televisão e o governo mataram a minha ilusão de pertencer à classe média.

Senão vejamos: no inicio da semana o Miguel Sousa Tavares declarou que qualquer recém-licenciado começa a sua vida laboral a ganhar 2700€... 2700€!! Eu que já ando nestas lides há já algumas primaveras, que supostamente ganhava bem por pertencer a uma empresa grande e que tenho formação superior, nem de perto (quanto mais de longe) chega à conta no final do mês 2700€...2700€.

Eu sei que em certas elites e substratos da capital é usual começaram por baixo... por 2700€...2700€... mas no país real não...

Por norma sou um tipo optimista e tento ver que qualquer adversidade poderia ser pior... Posso não ter como salário base 2700€ mas o puto anda num colégio privado... "Devo ser da classe média ainda", pensei eu, e fiquei aliviado... Todos os anos são 4400€ de propina a que se junta o preço dos livros que não são de borla... Lá se vão €4700... Podia ser pior... 

Ainda me estava a refazer deste estilhaço na minha auto-estima quando vi a entrevista que o Ministro da Educação deu à Lusa... Então não é que o xôr ministro disse (sem se rir) que cada aluno representa um custo anual de 6200€ ????... Os alunos das escolas publicas ficam mais caros que os do privado... 

Foi a machadada final na minha ténue esperança de ser da classe média pois mesmo que, com os meus impostos dê 500€ para o Ministério da Educação, mesmo assim fico com uma diferença de 1000€ (4700+500=5200-6200=1000). 

Definitiva e oficialmente faço parte dos remediados deste país... E por isso indignei-me. Pode ser que ganhe alguma coisa com isso...

Mas podia ser pior...

Os tipos que têm os miúdos no Rosário ou no Efanor da Sonae pagam €5200 de propina anual e pensam que lá é que é bom... Não é... Todos gostamos do mais caro...

Amigos, os putos da C+S de Alguidar de Baixo custam 6200€... 

Pumbas choninhas...

Lucília Monteiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:19



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


subscrever feeds




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D